Vazio

Inane no rosto, na alma, no coração,

Pessoas circulam sem rumo, desconsoladas,

No olhar dúbio, lágrima impercebível,

Melancólico sorriso disfarçado de felicidade,

Sexo casual, ardente, sem sentimento, sem amor,

Lentamente o amor morre nos olhares cavos,

Nas razões fúteis, nos devaneios, sem sentido,

No prazer ardente, sem sabor do falso orgasmo,

Nada dito, nada fez sentido, tesão, sexo, sexo,

Carne fraca saciada na frívola frigidez,

Mãos que acariciam, hoje bolinam,

Mãos que acenavam no sorriso sincero até breve,

Hoje desentrelaçadas, não mais lado a lado,

Na encruzilhada, olhar escurecido, nebuloso,

Cada um segue direção oposta na esperança,

Na busca incessável de encontrar o amor verdadeiro,

Sem saber que o amor foi arrancado do peito,

Assassinado friamente pelo sexo desalmado.